Minas do Camaquã

Minas do Camaquã
Minas do Camaquã

Sede histórica da antiga fazenda de João Dias, e remanescentes das primeiras fases de extração mineral, por companhias estrangeiras (alemãs, inglesas, belgas), como engenhos, casas e barragens. Também encontra-se no local uma vila de trabalhadores (uma ‘company-town’) construída especialmente para a mineração de cobre a partir de 1942, na época dotada de hospital, clube, cinema (o Cine Rodeio, inspirado nos saloons norte-americanos) e outras comodidades, além de galerias subterrâneas muito antigas e uma mina a céu aberto com lago em sua cava.

 

É um geossítio de incrível beleza cênica, com vistas para o conjunto geomorfológico da Pedra da Cruz, e a “Prainha”, muito frequentada no verão como balneário pelos cerca de 600 moradores e eventuais visitantes.


Geossítio do tipo “área complexa”, com extensão de aproximadamente 10 km², no extremo sul do município, na divisa com Santana da Boa Vista, cerca de 15 quilômetros a leste das Guaritas. Cerros íngremes, formados por rochas sedimentares de cor avermelhada, formadas entre 580 e 550 milhões de anos por enxurradas vindas de montanhas e por rios rasos e efêmeros.

 

Ocorrências visíveis de minerais de cobre, como a malaquita (cor verde clara, levemente azulada), que atestam a riqueza mineral da área, cuja atividade mineira já fez de Caçapava do Sul a “capital brasileira do cobre”, em meados do século XX.

 

Área que combina patrimônio geológico-geomorfológico e patrimônio mineiro, com potencial para turismo geológico, histórico-cultural e de aventura. Local muito utilizado para a prática de esportes de aventura na natureza, especialmente escalada, rapel, canoagem e stand-up paddle.

 

Visitação

 

1 - Pedra da Cruz: é o primeiro de uma curiosa sequência de quatro elevações alinhadas e em forma de capuz, quando vistos em perfil. Em seu topo havia uma cruz de metal com 17 metros de altura. Derrubada durante uma tempestade, ela foi idealizada pelo milionário e ex-proprietário da mineração de cobre, Baby Pignatari. Na prainha é onde se tem a melhor visão da pedra. Ideal para trekking e escalada, no alto é possível ter uma vista panorâmica para a vila e Barragem João Dias.

Local aberto ao público.

 

2 - Pedra do Engenho: localizada na prainha, é aberta ao público.

 

3 - Barragem João Dias: aberta ao público.

 

4 - Cine Rodeio: salão no estilo “velho oeste” onde funcionava um cinema. Está localizado na área central de Minas do Camaquã, não pode ser visitado internamente. Em frente, estão expostos permanentemente máquinas e vagonetes usados nas minas.

 

5 - Casa de Pedra: o local abriga o CTG  (Centro de Tradições Gaúchas) Ronda Crioula. 

 

Observações

 

 - Atualmente não são permitidas visitas na área industrial das minas, onde se encontra a Mina a céu aberto e subterrânea. 

 

 - A localidade conta com posto de combustível, hospedagem: https://geoparquecacapava.com.br/onde-dormir e opções de alimentação: https://geoparquecacapava.com.br/onde-comer

 

 - É aconselhável que grupos grandes de visitantes façam contato prévio com os restaurantes, para consulta de disponibilidade e agendamentos.

Panorâmica esférica
Localização